Giacomo Leopardi

“Quem quiser fazer bem a Itália, antes de tudo deverá mostrar-lhe uma língua filosófica, sem a qual eu acredito que ela nunca terá sua própria literatura moderna, e sem uma literatura moderna própria, nunca será uma nação”. (Carta de Leopardi a Pietro Giordani, 14/07/1821)

Nos dias de hoje, esta declaração do maior poeta italiano do século XIX pode causar algum espanto entre aqueles que não conhecem a história italiana. É importante, porém, lembrar que durante muito tempo a Itália (ou o território que hoje chamamos Itália) sofreu com o abismo existente entre a língua literária e a língua falada, abismo esse que motivou a frase de Leopardi, o qual considerava de fundamental importância uma transformação na língua italiana para que ela pudesse atender de fato às necessidades comunicativas de toda a população e assim tornar-se um idioma nacional. A questão da língua influenciou também para que a Itália permanecesse fora das correntes literárias europeias e tardasse a desenvolver uma literatura moderna, como afirma o poeta (é só pensarmos na chegada tardia gênero romance na literatura italiana). Não podemos esquecer também que a formação do Reino de Itália (1861) se deu de forma bastante tardia em relação aos outros Estados europeus, e mais de três séculos após o descobrimento do Brasil. Tendo consciência do contexto em que foi escrita, podemos considerar a declaração de Leopardi bastante coerente e valiosa para o debate acerca da língua nacional, da situação literária italiana no século XIX e também da formação do Estado nacional unificado.

Apesar de tudo isso, o que a Itália mostrou ao mundo, nesses quase dois séculos que nos separam da frase de Leopardi, foi a construção de uma nação forte e influente (apesar dos pesares), de uma língua que conta com quase 70 milhões de falantes e de uma literatura considerada importantíssima e cujo reconhecimento mundial vai muito além dos 5 prêmios Nobel recebidos até agora.

É por isso que, no ano em que a Itália completa o sesquicentenário de sua unificação, este blog surge como uma forma de homenagear a literatura italiana e de divulgá-la entre os leitores brasileiros. Acredito não ser necessário explicar as dezenas de motivos que ligam o Brasil à Itália, motivos que vão desde a origem de nossas línguas até a forte imigração ocorrida no início do século passado. Nossas histórias estão entrelaçadas, assim como nossas literaturas, e espero que este blog possa colaborar de alguma forma a tornar estes laços ainda mais fortes.

Anúncios